Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação

Ferramentas Pessoais

This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Programa / Histórico/Justificativa

Histórico/Justificativa

Histórico e contextualização do programa



A presente proposta, implementada no Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), alinha-se à Proposta Institucional de ampliação e valorização de oportunidades formativas de professores, articulando formação inicial e continuada. Desde a década de 90, a UFSCar vem dando continuidade a uma política de incentivo à formação de professores, com a criação de diversos cursos noturnos de Licenciatura e, mais recentemente, com a adesão a Projetos como o REUNI e a UAB. Tais movimentos evidenciam a preocupação da Universidade com a formação, em nível de graduação, de professores, contribuindo com a Política Nacional de Formação de Professores. Atualmente, a UFSCar oferece 3 cursos de Pós-Graduação de Mestrado Profissional (Química, Gestão da Clínica e Ensino de Ciências Exatas) e 37 cursos de Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado Acadêmicos.

Vale à pena ressaltar que as diretrizes 3.2.3., 3.2.4. e 3.11. do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFSCar, elaborado em 2004 e, atualmente, em fase de reformulação, estabelecem como princípios para a ampliação, o acesso e a permanência na Universidade: “buscar o pleno aproveitamento da capacidade já instalada na UFSCar na ampliação do acesso à Universidade”; “priorizar a ampliação dos cursos de formação e atualização de professores”; “expandir, diversificar e inovar a oferta de cursos de pós-graduação”. Nesse sentido, a proposição de um curso de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação veio atender a essas diretrizes, contribuindo com a expansão e a diversificação de oferta de cursos, com foco no fortalecimento da formação profissional de professores.

Além disso, a existência de outros Programas de Pós-Graduação, reconhecidos na Instituição, poderá contribuir para a interlocução entre os alunos de programas de pós-graduação profissional com os de programas acadêmicos, em eventos e disciplinas oferecidas, favorecendo a construção colaborativa e interdisciplinar de conhecimento.

A perspectiva interdisciplinar é uma dimensão importante na política de formação docente da UFSCar, sendo assim formulada no Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI 2004):

3.1.2. Promover condições para o trabalho interdisciplinar em ensino, pesquisa e extensão na UFSCar, intra e inter cursos, grupos, redes e projetos.

3.1.8. Expandir a oferta de cursos interdisciplinares de graduação e pós-graduação.

Para Lenoir (2007), essas concepções da interdisciplinaridade devem ser ambas mantidas, de maneira complementar: (...) é conveniente manter intimamente ligada essa dupla visão de interdisciplinaridade, epistemológica e prática, de maneira a evitar divagações tanto do tipo idealista, que negligencia toda ancoragem na realidade escolar, como do tipo técnico-instrumentalista, em que a finalidade, a pertinência e o valor serão medidos pelo sucesso imediato (LENOIR, 2007, p.49).

Nesse sentido, o Curso ora proposto apresenta uma perspectiva interdisciplinar, tanto por contar com um corpo docente de áreas diversas de formação inicial (Biologia, Filosofia, Física, Educação Física, Letras, Matemática e Química), que estão atuando conjuntamente nas disciplinas, quanto por apresentar as linguagens como eixo articulador das diversas disciplinas que compõem sua grade curricular. Ainda nessa perspectiva interdisciplinar, um dos princípios metodológicos, nas disciplinas, consiste na apresentação de situações-problema, aos alunos, na busca por compreender as injunções de ordem histórica, política e social que as determinam, assim como na busca por abstrair princípios – epistemológicos, metodológicos, didáticos – que embasem suas ações e, simultaneamente, fortaleçam suas teorizações.

Em relação a relevância e impacto regional ou microrregional da formação dos profissionais com o perfil previsto.

Os cursos oferecidos pela UFSCar, em atenção às Diretrizes Curriculares Nacionais, têm buscado, em seus projetos pedagógicos, a flexibilização de seu currículo, oferecendo aos alunos, sob o princípio da indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão, uma formação ampla e comprometida com questões sociais, o que resulta em um perfil de profissional com amplas perspectivas, capaz de atuar de forma interdisciplinar.

A relevância de uma proposta de Programa de Mestrado Profissional em Educação, que visa à continuidade de formação de professores já atuantes em diferentes áreas do conhecimento, consiste na possibilidade de articulação entre ensino superior e educação básica, resultando em benefícios de um aprendizado mais reflexivo para professores em exercício e em propostas metodológicas e de inovações pedagógicas para as escolas nas quais os envolvidos atuam.

Nesta perspectiva, o Mestrado Profissional em Educação pretende favorecer a melhor compreensão, por parte dos professores em exercício, dos princípios epistemológicos que sustentam suas ações, possibilitando uma ratificação de suas práticas, com maior consciência, ou uma reformulação das práticas; suscitando, como impacto a curto e médio prazo, a proposição de abordagens didáticas mais comprometidas e situadas sócio-historicamente e a elaboração de materiais e recursos didáticos inovadores, com otimização de tecnologias.

O impacto, a longo prazo, que um curso dessa natureza poderá favorecer é uma postura de maior valorização do magistério e da profissão docente e de melhor compreensão sobre aspectos vivenciados nos processos de ensino-aprendizagem nas escolas da educação básica, além de novas reflexões e teorizações.
A criação de um Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação, no Centro de Educação e Ciências Humanas, na UFSCar, constitui-se, portanto, como um mecanismo de política pública, no âmbito da profissionalização docente, à medida que integra a graduação, a pós-graduação e o sistema educacional.

Há de se ressaltar ainda que, o programa proposto possibilita o desenvolvimento de pesquisas “com” os professores, a partir de situações didáticas situadas, contextualizadas e de caráter interdisciplinar, estabelecendo assim, a tão necessária parceria entre Universidade e Escola, de forma que, os professores da Educação Básica possam ser reconhecidos socialmente enquanto produtores de conhecimento. Ao mesmo tempo, a Escola pode ser também reconhecida como mais um lócus de produção de conhecimentos e formadora de professores. Ou seja, o programa se fundamenta em três ideias centrais: desenvolvimento de investigações de cunho interdisciplinar; desenvolvimento de investigações que sejam desenvolvidas em parceria, entre a Universidade e a Escola e, o reconhecimento social de que o professor é produtor de conhecimentos relacionados às práticas educativas que ocorrem em espaços formais e não formais.

Nesse sentido, Mestrado Profissional em Educação buscará superar o caráter formalista de formação de professores, ao propor a articulação dos conteúdos abordados à investigação da sala de aula, assim como na integração curricular dos tópicos teóricos com as vivências de professores da Educação Básica.
Aqui, o professor é considerado profissional da prática docente (PERRENOUD, 1993) e investigador de sua prática (RIBEIRO, 1993). Aqui, se pressupõe que haja articulação entre saberes teóricos e saberes da experiência, em um movimento de mútua recriação da teoria na prática e da prática na teoria.

Tal movimento tem fundamentado, no Brasil, os documentos oficiais como, por exemplo, o Parecer CNE/CP 9/2001, Diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), dentre outros (PIBID, 2009, p. 02).

A proposta reafirma a importância do trabalho de formação de professores em uma dupla perspectiva: de integração de saberes, mobilizando conteúdos teóricos e práticos, gerais e específicos e de consolidação de ações transversais e interdisciplinares nos campos do ensino e da pesquisa voltados à formação de professores. Pauta-se, para tanto, nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de Professores da Educação Básica (BRASIL, 2001), ao enfatizar que o professor deverá incorporar a reflexão sobre a sua prática, a fim de ser capaz da tomada de decisões fundamentais relativamente às questões que quer considerar, os projetos que quer empreender, e ao modo como os quer efetivar, deixando de ser um simples executor e passando a ser considerado um profissional investigador e conceptor.

Tendo em vista as diretrizes, o programa buscará desenvolver a formação acadêmica situada na prática profissional dos docentes, capacitando-os para atuarem de forma significativa na sociedade, na tentativa de superar a vertente positivista da Educação (também denominada “racionalidade técnica”), a qual pressupõe a possibilidade da estrita aplicabilidade metódica dos conhecimentos pedagógicos aos problemas do ensino.

Portanto, defende que os professores são agentes da transformação educacional, promovendo-a a partir de ações e investigações que formulam das suas próprias práticas de ensino, considerando que:

  1. a formação docente é um processo permanente e envolve a valorização identitária e profissional dos professores;
  2. a identidade do professor é simultaneamente epistemológica e profissional, realizando-se no campo teórico do conhecimento e no âmbito da prática social;
  3. a transformação da prática do professor decorre da ampliação de sua consciência crítica sobre essa mesma prática;
  4. é complexa a tarefa de aprimoramento da qualidade do trabalho escolar, uma vez que, os professores contribuem com seus saberes, seus valores e suas experiências no fazer e pensar o ensino;
  5. ao enfrentar os desafios das situações de ensino, o profissional da Educação precisa da competência do conhecimento, disciplinar e interdisciplinar, de sensibilidade ética e de consciência política (BRASIL, 2001).

Há de se ressaltar ainda que, a proposta de um curso de Mestrado Profissional em Educação, com as características anteriormente apresentadas, surge da necessidade de dar continuidade, em nível de pós-graduação, a um movimento permanente de reflexões e investigações sobre as relações existentes entre a práxis e a formação de professores, envolvendo a Educação Básica, empreendido pelo grupo de professores proponentes. Tal movimento foi iniciado desde 2009, a partir das ações que estão sendo empreendidas nos âmbitos dos programas: PIBID-UFSCar, OBEDUC-UFSCar, PRODOCÊNCIA-UFSCar, financiados pela Capes e da pesquisa desenvolvida, no período de 2012 a 2014, sobre o Estágio Supervisionado, financiada pelo CNPQ (Edital Universal 2011).

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/UFSCar - CAPES) tem como um de seus objetivos articular ações envolvendo licenciandos, docentes da UFSCar e professores de escolas básicas. Dessa forma, o programa é considerado espaço de investigação, tanto para os licenciandos quanto para os professores da Escola Pública envolvidos.

Desde 2009 estiveram envolvidas no PIBID, 20 licenciaturas, a saber: Biologia (Araras, São Carlos e Sorocaba); Educação Física (São Carlos); Educação Musical (São Carlos); Física (Araras, São Carlos e Sorocaba); Filosofia (São Carlos); Geografia (São Carlos); Letras (São Carlos); Matemática (São Carlos e Sorocaba); Pedagogia (São Carlos e Sorocaba); Pedagogia à distância (polos de Jales e São José dos Campos) e Química (Araras, São Carlos e Sorocaba). O PIBID envolve mais de uma centena de professores da Educação Básica, sendo 87 supervisores com bolsa; aproximadamente 3 mil estudantes da Educação Básica, de 19 escolas públicas, sendo 9 municipais e 10 estaduais; 451 licenciandos bolsistas, selecionados nos cursos de licenciaturas oferecidas nos 3 campi da UFSCar (Araras, São Carlos e Sorocaba); e, ainda, cerca de 42 docentes da Universidade, sendo 37 coordenadores de área; 04 coordenadores de gestão e 01 coordenadora institucional.

Aqui, constata-se a necessidade de investimentos na formação profissional de professores de forma que estes tenham a oportunidade de desenvolverem pesquisas, de cunho interdisciplinar, “com” os licenciandos e pesquisadores da Universidade.

A pesquisa intitulada “Produtos educacionais no Mestrado Profissional em Ensino de Física e Matemática: itinerários de desenvolvimento, implementação e avaliação, a partir da rede de pesquisa participante Escola-Universidade”, que  desenvolvida no âmbito do OBEDUC-UFSCar inseriu-se no Eixo temático: Educação Continuada (Formação de professores de Física e de Matemática), área de Investigação: Abordagens multidisciplinares de áreas de conhecimentos afins. Teve como objetivo principal a caracterização, o desenvolvimento e implementação de “produtos educacionais”, articulando a formação de mestrandos, professores e licenciandos numa rede investigativa participante situada tanto em escolas de São Carlos quanto na Universidade (Graduação e Pós-Graduação).
A pesquisa envolveu licenciandos, professores da Educação Básica e mestrandos matriculados tanto no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências exatas (PPGECE), especialmente aqueles que atuam na rede pública (estadual e/ou municipal). Os professores desenvolveram investigações que problematizam as situações didáticas próprias das salas de aula que conduzem. Em quatro anos, o OBEDUC-UFSCar contribuiu com a formação de 12 Mestres em Ciências Exatas, áreas Física e Matemática.

O PRODOCÊNCIA-UFSCar é outro programa no qual parte do grupo proponente participa, ministrando Atividades Curriculares de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão, as ACIEPEs. Tais atividades são definidas enquanto:

Uma experiência educativa, cultural e científica que, articulando o Ensino, a Pesquisa e a Extensão e envolvendo professores, técnicos e alunos da UFSCar, procuram viabilizar e estimular o seu relacionamento com diferentes segmentos da sociedade e atendem às demandas dos estudantes de licenciatura da UFSCar, em processo de avaliação realizado no Programa Prodocência DEB/CAPES/MEC, por experiências de ensino em espaços não formais (PROEX-UFSCar, 2012).

Além dos programas citados acima, vale a pena ressaltar que, a parceria entre a Universidade e as Escolas está sendo ampliada através do projeto de pesquisa intitulado: “O Estágio Supervisionado enquanto espaço para construção de identidade profissional: desafios da formação inicial para a docência” (CNPq Universal 2011):

Por meio desse projeto (...) um grupo interdisciplinar de formadores de professores, do Departamento de Metodologia de Ensino invitou  esforços acadêmicos numa investigação sobre a relevância e a repercussão da disciplina Estágio Supervisionado na formação inicial à docência, em articulação com ações de ensino e extensão desenvolvidas junto às licenciaturas da UFSCar no âmbito de projetos diversos  em desenvolvimento, a partir da implantação das referidas políticas públicas, além da atuação de grupos de pesquisas constituídos há vários anos e com ampla atuação nas áreas da formação docente e do ensino dos conhecimentos acadêmicos específicos (CALDEIRA ET AL, 2011, p. 01).

As reflexões sobre as ações desenvolvidas pela equipe proponente, em parceria com as escolas, a partir dos programas e projeto supracitados foram determinantes para que este programa começasse a ser gestado. Dessa forma, a proposta do Mestrado Profissional em Educação, da UFSCar prevê o desenvolvimento de pesquisas, pelos professores da Educação Básica, que tenham como ponto de partida as situações didáticas das salas de aula. Os professores terão oportunidade de teorizar sobre a prática que ministram e praticarem a teoria em que acreditam.

O grupo de professores proponente do Mestrado profissional em Educação também vem estabelecendo e consolidando as seguintes parcerias:

1) Nacionais:

  • Pesquisa na Formação de professores (USP)
  • e-Urbano (Unicamp)
  • Educação, Linguagem e Práticas Socioculturais (Unicamp)
  • História, Filosofia e Educação Matemática (Unicamp)
  • PRAPEM – Prática Pedagógica em Matemática (Unicamp)
  • Saber Urbano e Linguagem (Unicamp)
  • GEPFPM - Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Formação de Professores de Matemática (Unicamp)
  • Grupo de Estudos e Pesquisas Filosofia para Crianças (Unesp)
  • Economia solidária e cooperativismo popular (UFSCar)
  • INOVAR (UFMG)
  • GEPEB - Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Biologia (USP)
  • Ensino e Aprendizagem de Língua Estrangeira (UNESP)
  • Linguagem, Educação e Virtualidade – LEV (UNESP)
  • Educação, Saúde E Cidadania - FIOCRUZ/RJ
  • Configurações Do Mundo Do Trabalho, Saúde Dos Trabalhadores E Enfermagem - UERJ
  • Espaços Plurais Da Educação - UNIUBE
  • Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Física: formação profissional e campo de trabalho (NEPEF - FPCT)

 

2) Internacionais

  • Universidade Autônoma de Barcelona – Departamento de Didática da Matemática e das Ciências Experimentais. Barcelona, Espanha
  • Universidade Nacional de Cuyo – Mendoza, Argentina.
  • Universidade de Lisboa – Centro de Investigação em Educação. Lisboa, Portugal
  • Universidad de Valladolid – Departamento de Teoría de la Señal, Comun

 

Vale a pena ressaltar que o primeiro processo seletivo ocorreu em 2013. O PPGPE recebeu 585 inscrições. Matricularem-se 15 professores, dos 16 aprovados. As atividades do PPGE iniciaram-se no dia 01/08/2013.

G
M
T
Detectar idiomaAfricânerAlbanêsAlemãoArabeArmênioAzerbaijanoBascoBengaliBielo-russoBirmanêsBósnioBúlgaroCatalãoCazaqueCebuanoChichewaChinês (Simp)Chinês (Trad)CingalêsCoreanoCrioulo haitianoCroataDinamarquêsEslovacoEslovenoEspanholEsperantoEstonianoFinlandêsFrancêsGalegoGalêsGeorgianoGregoGujaratiHauçaHebraicoHindiHmongHolandêsHúngaroIgboIndonésioInglêsIorubaIrlandêsIslandêsItalianoJaponêsJavanêsKannadaKhmerLaosianoLatimLetãoLituanoMacedônicoMalaialaMalaioMalgaxeMaltêsMaoriMarathiMongolNepalêsNorueguêsPersaPolonêsPortuguêsPunjabiRomenoRussoSérvioSesothoSomáliaSuaíliSudanêsSuecoTadjiqueTagaloTailandêsTâmilTchecoTelugoTurcoUcranianoUrduUzbequeVietnamitaYiddishZulu
AfricânerAlbanêsAlemãoArabeArmênioAzerbaijanoBascoBengaliBielo-russoBirmanêsBósnioBúlgaroCatalãoCazaqueCebuanoChichewaChinês (Simp)Chinês (Trad)CingalêsCoreanoCrioulo haitianoCroataDinamarquêsEslovacoEslovenoEspanholEsperantoEstonianoFinlandêsFrancêsGalegoGalêsGeorgianoGregoGujaratiHauçaHebraicoHindiHmongHolandêsHúngaroIgboIndonésioInglêsIorubaIrlandêsIslandêsItalianoJaponêsJavanêsKannadaKhmerLaosianoLatimLetãoLituanoMacedônicoMalaialaMalaioMalgaxeMaltêsMaoriMarathiMongolNepalêsNorueguêsPersaPolonêsPortuguêsPunjabiRomenoRussoSérvioSesothoSomáliaSuaíliSudanêsSuecoTadjiqueTagaloTailandêsTâmilTchecoTelugoTurcoUcranianoUrduUzbequeVietnamitaYiddishZulu
A função de fala é limitada a 200 caracteres